A PEGADA

 
Visamos com nossas ações, ocupar espaços, ativando assim camadas e esferas de significados no contexto específico ao qual estamos inseridos. Em nossos projetos, empregamos diversos meios e estratégias, buscando a intersecção entre arte e outras áreas do conhecimento, tais como arquitetura, política, economia, sociologia, ecologia, história e geografia.

Tais ações materializam-se através de desenhos, esculturas, vídeos, performances, fotografias, textos, intervenções e jogos que, a partir do contexto urbano, apontam para os principais interesses do grupo: a reflexão e o questionamento das convenções espaciais, sociais, [po]éticas e políticas do cotidiano, e suas implicações entre o sujeito e sua esfera pessoal e pública.

Ao “ativar” um determinado lugar, busca-se propor ao participante uma tomada de consciência sobre os processos envolvidos na construção do espaço urbano e cotidiano da cidade, suas velocidades, alienações, estratégias de sobrevivência, (auto)organização, a coletividade e a ação direta (macro e micro políticas).

 

 

 

 

2 responses

10 06 2008
rafael

no sera mucha energia para cualquie lado? cade sus trabajos? ustedes saven quien es marcelo expocito para hablar en esos terminos? saven en que linea politica el atua? vocês saven que suely r. de quien usan paragrafos para atacar la brumaria trabalha com el?. qual é a linea politica que ustedes defienden, o problema é autoral? si o nome de elefente estaria publicado se acabaria el conflito? entonces é um problemita de ego artista? hay tantas publicaciones en el mundo facistas no le parece um poco decadente gastar toda esa energia na brumaria?. yo no soy un defensor de la brumaria, mas me parece que esa question é falsa, que distrae que no suma, que podrian usar la pagina principal de seu site para falar alguma coisa, no?
ademas companheros disculpen pero no se dieron cuenta que cuando se fue del museo a la rua, el registro se volvio de todos, se volvio PUBLICO

11 06 2008
coletivoelephante

Caro Rafael,
Depois de um periodo de pesquisa sobre questões autorais, relações de trabalho imaterial e economia cultural, desenvolvemos esse texto-ação “pensamento sobre apropriação de trabalho imaterial”, que simplismente descreve os fatos experienciados por nós e que intitulamos de “Caso Brumaria7″, mas que como se pode ver no texto, é apenas ponto de partida para pautar um debate sobre trabalho imaterial. Talvez com uma leitura mais generosa, possa se chegar às perguntas que levantamos e então aprofundarmos a discussão.
Da mesma forma, não nos interessa ‘atacar’ como você sugere e não sitamos em nenhum momento a pessoa de ‘Marcelo Exposito’, como você o faz. Compreendemos que a creditação e maior informação do material iconografico publicado, poderia ter tornado mais claro e fazer ver nossas posições e ações artisticas, o que não ocorreu e que você nos cobra.
Você considera a revista Brumaria um espaço publico? Qual sua ideia de uso publico? Você considera ‘Livre Circulação” como “Livre Uso” ?
Sobre o site, o coletivo está mesmo em um novo momento organizacional interno e toma a liberdade de criar um novo blog, em ferramenta livre, sem deixar de publicar a etapa no blog anterior.
Elefante

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: